Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Vocabulário tradicional - XIII

por Helder Robalo, em 30.01.07
Antigamente, num tempo em que o dinheiro abundava menos ainda nas gentes do campo, os trabalhadores comiam todos de um barranhão (1). Muitas vezes com as mãos mesmo, porque garfo e faca eram luxos de ricos. Aquele que fosse mais cagarola (2) estava desgraçado porque era certo que iria passar fome durante o dia de trabalho.

(1) - Alguidar grande, por norma em barro, de onde comiam os trabalhadores todos.
(2) - Cobarde, fraco, débil.

 


Tendo como fonte a Revista Lusitana, depositada no Instituto de Camões, e em referência no capítulo de "Notas sobre a linguagem de Aldeia de Santa Margarida".

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:58

Instalações sanitárias

por Helder Robalo, em 20.01.07
Aqui gostamos de proporcionar sempre o melhor aos nossos visitantes. O seu bem-estar é muito importante para nós. Por isso, se houver um aperto, temos sempre estas instalações sanitárias para um momento de aflição.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:40

Notícias da região

por Helder Robalo, em 15.01.07
Sempre que puder, e souber, vou procurar trazer aqui algumas informações que consiga reunir sobre a nossa aldeia e arredores. Para isso conto também com a vossa ajuda.
Hoje fica aqui uma notícia, retirada do jornal Gazeta do Interior, sobre a Nossa Senhora do Almortão, festividade muito apreciada também na nossa aldeia.


Capela entra em obras e água chega ao recinto
A obra da responsabilidade da Câmara, deverá estar concluida antes da romaria

O recinto de Nossa Senhora do Almortão vai passar a contar com abastecimento público de água.

A obra, da responsabilidade da Câmara de Idanha-a-Nova, está ainda a dar os primeiros passos, não sendo ainda conhecido o valor do investimento a realizar, mas o objectivo é que os trabalhos estejam concluídos a tempo da romaria que, como manda a tradição, se realiza na terceira segunda-feira a seguir à Páscoa, dia em que também é assinalado o feriado municipal de Idanha. Assim, este ano, a romaria decorrerá de 21 a 23 de Abril, com o último dia a ser o momento alto, com a celebração de uma missa seguida de procissão.

António Tavares

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 13:29

A "burra"

por Helder Robalo, em 08.01.07
Os tempos foram evoluídos e, com eles, também as tecnologias utilizadas no trabalho agrícola se foram modificando.
Hoje em dia é raro o pequeno agricultor que, no seu terreno, não tem um poço do qual retira a água com a preciosa ajuda de um motor de rega, mecânico, claro está.
Longe vão já os tempos em que a água utilizada na rega dos terrenos agrícolas era feita com a força dos braços do Homem ou graças ao esforço de um animal - por norma um burro.
Mas, em muitas regiões do Interior, ainda se continua a utilizar os meios tradicionais de rega. Nomeadamente a "burra" - como se chama na nossa aldeia. Um instrumento rudimentar, por norma em madeira de eucalipto, em que uma vara onde é pendurado o caldeiro - vulgo balde - que vai dentro do poço tirar a água. O contra-peso é feito com a ajuda de uma outra vara onde são presas algumas pedras. O desprendimento das pedras ou quebra de umas das varas de madeira pregou, ao longo dos anos, alguns sustos a agricultores mais azarados que acabaram dentro do poço.
Aqui, na foto, fica uma imagem de uma "burra" existente na nossa aldeia, mais evoluída, cujo pé de apoio é feito em cimento e as varas são metálicas, o que sempre permite que este instrumento de rega possa durar mais tempo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:49

Fonte Nova

por Helder Robalo, em 03.01.07
Antigamente, a Fonte Nova, pelo que me conta a minha mãe, era muito usada pelo povo como local de abastecimento para as necessidades caseiras. Quer para ser usada na confecção das refeições do dia a dia, quer, mesmo, para poder ser bebida. É claro que, nesses tempos, quando a água canalizada em casa não passava quase de um mito, a utilização da água desta fonte era muito mais abundante e, consequentemente, o próprio furo encontrava-se em melhores condições. A constante «batida» da água permitia que este se mantivesse limpo. Além, claro, da manutenção que era feita, de tempos a tempos, pelos próprios populares.
Agora, que a água já corre nas torneiras das casas de cada uma, a utilização da Fonte Nova deixou de ser tão frequente e, de forma natural, a sujidade tem-se vindo a acumular no furo. O que tornou a água imprópria para consumo residencial. O seu uso, agora, é meramente agrícola.
No entanto, numa altura em que a chuva renova a natureza, o verde que rodeia a Fonte Nova dá-lhe um brilho especial.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:30


Mais sobre mim


Junta de Freguesia de Aldeia de Santa Margarida

http://www.jf-aldeiastamargarida.pt/

Hino de Aldeia de Santa Margarida


Calendário

Janeiro 2007

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Links

A nossa origem

  •  
  •  
  • O outro site

  •  
  •  
  • ASM nas redes sociais

  •  
  •  
  • ASM também aqui

  •  
  •  
  • Terras e sítios amigos

  •  
  •  
  • Notícias da Região


    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2014
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2013
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2012
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2011
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2010
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2009
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2008
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2007
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2006
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2005
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D





    Números Úteis

    Junta de Freguesia
    277 313 545

    Centro de Saúde
    277 313 293

    Paróquia
    277 937 200

    Liga dos Amigos de ASM
    277 107 416
    931 117 116 (João Camejo)

    Centro de Dia de ASM
    277 313 122

    Associação de Caçadores de ASM
    964 555 898 (José Francisco Prudente)

    Grupo de Cantares de ASM
    965 464 190 (Zélia Curto)
    277 313 545 (Tlf. da Junta de Freguesia)

    Os Tapori a Bombar - Grupo de Bombos de ASM
    919 820 154 (Samuel Pereira)
    964 148 017 (Ricardo Barroso)
    ostaporiabombar@gmail.com

    Pirotécnica Beirense
    277 313 478
    962 935 544

    GNR de Idanha-a-Nova
    277 202 128

    Bombeiros de Idanha-a-Nova
    277 202 456



    Ver Estatísticas